Hidratantes: como escolher?

Nossa pele é susceptível às alterações climáticas, ao nosso comportamento e ao envelhecimento. O clima seco, lugares com ventos mais fortes, banhos mais quentes e o envelhecimento que torna a pele mais fina e seca são fatores que exigem maior hidratação da pele.

Nossa pele é constituída por 64% de água. A pele ressecada pode causar dermatites, coceiras, vermelhidão, descamação e muita irritação! Por isso hidratação é essencial para a boa saúde de sua pele.

Parece fácil resolver o problema. O seu médico pode simplesmente te dizer: use um creme hidratante todos os dias! Mas qual hidratante devo usar? Devo usar creme, loção, óleo ou manteiga? Devo procurar por um produto descrito como “sem fragrância”, “recomendado por dermatologistas”, “orgânico”, “natural” ou “hipoalergênico”? Os mais caros são realmente melhores?
Confesso que mesmo nós dermatologistas às vezes nos perdemos com tantas opções no mercado. Para nos ajudar, um estudo publicado no mês passado na respeitada revista JAMA Dermatology pelo Dr. Shuai Xu e sua equipe revisou 174 produtos mais consumidos e avaliados dos EUA e obtiveram resultados interessantes.
Os preços destes produtos estudados variavam bastante, de 10 centavos de dólar a US$9,51 por ounce (cerca de 28g) e o foco principal da pesquisa foram as substâncias que podem causar alergias, considerando a lista de alérgenos proposta pelo Grupo de Dermatite de Contato da América do Norte (NACDG).
Apenas 12% dos produtos mais comercializados dos EUA eram livres de substâncias potencialmente causadoras de alergias, os alérgenos listados pela NACDG. Os 3 principais alérgenos são as fragrâncias, os parabenos e o tocoferol.
Mesmo entre os hidratantes listados como “sem fragrâncias”, 45% apresentavam pelo menos um ingrediente relacionado a fragrância. Isto porque se um produto tem em sua composição um elemento que é ao mesmo tempo um conservante e uma fragrância, este elemento fica intitulado apenas como conservante segundo o estudo. Além disso, ingredientes botânicos podem ser considerados fragrâncias e há produtos que com a reação química se tornam uma fragrância. Portanto, difícil indicar um hidratante considerado no mercado como “sem fragrância” que realmente não contenha este alérgeno.
Pasme! Entre os 15 produtos estudados considerados “hipoalergênicos”, 83% apresentava pelo menos 1 item da lista de alérgenos da NACDG e 24 produtos de todos estudados apresentavam 5 ou mais alérgenos na sua composição. E o mais interessante foi ver que os produtos que não apresentavam nenhum alérgeno não eram os mais caros, sendo a média de preço destes de 83 centavos de dólar.
Segundo Dr. Shuai Xu, o custo de um produto não garante sua qualidade e segurança para as alergias. Além disso, o termo “hipoalergenico” é extremamente questionável já que uma pessoa pode reagir a qualquer componente de um produto para a pele com o seu uso constante. Mesmo os produtos considerados “naturais” e “orgânicos” podem causar alergias.
A maioria dos produtos sem alérgenos eram óleos e manteigas naturais. Outros estudos comprovaram a eficácia de alguns hidratantes considerados naturais, como o óleo de coco, mas nem todos são eficazes segundo as pesquisas (por exemplo o óleo de uva, o de abacate ou de damasco). O óleo de oliva aumenta a perda de água da pele sendo, portanto, contraindicado o seu uso.
Produtos descritos como “recomendados pelos dermatologistas” apresentavam média de custo mais elevado. No entanto, esta classificação é considerada controvérsia pelo estudo já que 95% destes hidratantes apresentavam pelo menos um alérgeno da lista da NACDG. Portanto, há uma falta de correlação entre o título de “recomendados pelos dermatologistas” e o potencial de alergia destes hidratantes.
Dos 174 produtos estudados pelo grupo do Dr. Shuai Xu, a maioria eram loções (59%), seguido pelos cremes (13%), óleos (12%) e manteigas (8%). Isto mostra a preferência dos pacientes pelas loções, provavelmente porque este tipo de hidratante apresenta grande quantidade de água em sua composição e ao ser aplicado na pele a água evapora e não deixa a sensação “pegajosa”, normalmente causada pelos cremes, óleos e manteigas. No entanto, cremes, óleos e manteigas apresentam maior potencial hidratante comparado às loções.
Segundo a Academia Americana de Dermatologia, o produto a ser recomendado para seu paciente deve ser aquele que ele realmente irá usar. Não adianta comprar uma manteiga sendo que você não gosta do aspecto pegajoso que ela causará após a aplicação.

Mas e aí? Qual hidratante devo comprar?

Para a Academia Americana de Dermatologia você deve escolher o tipo de hidratante que mais gosta (loção, creme, óleo ou manteiga), aumentando, assim, a chance de manter o seu uso. Além disso, deve-se buscar produtos descritos como “hipoalergênicos” e “sem fragrância”, o que foi comprovado pelo estudo ser uma tarefa extremamente difícil. Portanto, é essencial avaliar junto com o seu dermatologista o melhor produto para você. Como qualquer outro medicamento, uma prescrição individualizada levará em consideração as necessidades de hidratação da sua pele, sua predisposição para alergias e outras condições dermatológicas pré-existentes.
Referência: JAMA Dermatol. 2017 Sep 6. doi: 10.1001/jamadermatol.2017.3046

2017-11-06T18:03:59+00:00
Entrar em contato
Olá 👋
Podemos te ajudar?
Powered by