DEZEMBRO LARANJA

Aprenda a reconhecer o câncer de pele

Este é o mês do combate ao câncer de pele, o Dezembro Laranja! Este movimento foi criado pela Sociedade de Brasileira de Dermatologia pois poucas pessoas sabem que este é o câncer mais comum que existe, inclusive no Brasil! Ele corresponde a cerca de 30% dos tumores malignos diagnosticados no nosso país.

Além da grande importância da prevenção, é essencial também identificarmos o que é suspeito de câncer para que possamos fazer o diagnóstico precoce e evitar cirurgias de grande porte ou tumores avançados que podem até serem letais, como no caso do Melanoma.

Neste post você verá as principais características do melanoma, o câncer mais temido na pele, como reconhecê-lo e o que você deve fazer se suspeitar de alguma mancha no seu corpo.

De volta ao ABCDE

O MELANOMA, um dos tipos de câncer de pele mais mortais, manifesta-se na forma de manchas ou saliências assimétricas, com bordas irregulares, multicoloridas ou castanhas, que crescem com o passar do tempo. Também pode começar como uma lesão plana e tornar-se elevado com o passar do tempo. Em casos mais raros, pode não ser pigmentado.

NEVOS DISPLÁSICOS (nevos atípicos) são pintas benignas e não usuais, que podem assemelhar-se ao melanoma. Pessoas com grandes quantidades desse tipo de pintas espalhadas pelo corpo têm um risco maior de desenvolver um melanoma. Quanto maior o número de nevos, maior o risco. Quem apresenta 10 ou mais nevos tem 12 vezes mais risco de desenvolver câncer de pele que a população em geral. Os nevos displásicos são encontrados mais frequentemente em pacientes com melanoma do que na população em geral.

NEVOS NORMAIS X NEVOS DISPLÁSICOS

É muito importante reconhecer os nevos displásicos, ou atípicos, e identificar precocemente os melanomas, na fase em que eles têm maior índice de cura. Veja abaixo algumas características das pintas normais, nevos displásicos e do Melanoma.

NEVOS NORMAIS

Em média, um adulto jovem possui entre 10 e 20 pintas ou manchas elevadas.

Normalmente, nevos típicos (pintas normais) têm as seguintes características:

FORMATO: simétrico, arredondado ou oval.

BORDA: regular, bem delimitada e bem definida.

COR: uniforme, geralmente castanha, marrom ou cor de pele.

DIÂMETRO: geralmente até 6 mm.

LOCAL: concentradas, em sua maioria, nas áreas expostas ao Sol, como face, tronco, braços e pernas.

INÍCIO: infância, na maioria das vezes, mas podem aparecer até os 35-40 anos.

UNIFORMIDADE: os nevos são semelhantes entre si.

Foto de nevo simétrico e normal

Nevo simétrico e normal. Ao desenhar uma linha dividindo o nevo, os lados serão iguais.

Foto de nevo simétrico
Nevo com simetria normal, pequeno, em tom de marrom e borda regular.


NEVOS DISPLÁSICOS

Geralmente largos, os nevos atípicos são um dos mais importantes fatores de risco de melanoma. Clinicamente, esses nevos são semelhantes aos melanomas. Suas principais características são:

FORMATO: geralmente assimétrico; uma linha dividindo a lesão não criaria dois lados simétricos.

BORDA: irregular ou mal delimitada – o nevo some gradualmente na pele.

COR: variável e irregular, podendo ser castanha, marrom, marrom escuro, vermelha, azul ou preta.

DIÂMETRO: geralmente maior do que 6 mm, mas pode ser menor.

TAMANHO: crescimento de um nevo que antes tinha tamanho normal ou surgimento de um nevo após os 35-40 anos devem levantar suspeitas.

SUPERFÍCIE: parte central é geralmente elevada, com a parte periférica plana ou com algumas elevações.

APARÊNCIA: bem variável; nevos displásicos sempre são diferentes uns dos outros.

NÚMERO: variável; tanto pode haver poucos como pode haver mais de 100 nevos.

LOCAL: normalmente no dorso, tórax anterior, abdômen e extremidades; pode normalmente ocorrer em áreas que não ficam expostas, como nádegas, virilhas, seios ou couro cabeludo.

Foto de nevo multicolorido
Nevo multicolorido comum, com aparência de coroa de flores.

Foto de nevo melanocítico atípico (Nevo de Clark)
Nevo melanocítico atípico (Nevo de Clark) – assimétrico, borda irregular, variação de cor e diâmetro menor do que 6 mm.

Foto de nevo displásico na parte superior das costas
Nevo displásico na parte direita superior das costas. Aproximação mostra bordas mal definidas, assimetria e variação de cor.

Foto de nevo displásico na região lombar
Nevo displásico na região lombar. Aproximação demonstra assimetria, variação de cor e irregularidade da borda.

Se qualquer um desses sinais aparecer na sua pele ou na de um familiar, não adie: consulte um dermatologista. Qualquer novo nevo ou ponto pigmentado – ou qualquer mudança de tamanho, forma, cor ou sintomas em um nevo já existente – pode ser o primeiro sinal de câncer de pele.

SUGESTÕES PARA PESSOAS COM NEVO DISPLÁSICO

Se o seu médico suspeitar de um nevo displásico, talvez um ou mais nevos passem por uma biópsia – procedimento em que um nevo será removido cirurgicamente para exame histológico. Não é necessário remover todos os nevos displásicos. Entretanto, se nevos mostrarem alterações significativas ou sinais de melanoma, ou novos nevos surgirem após os 40 anos, talvez o seu médico considere a possibilidade de removê-los.

Quando o diagnóstico de nevo displásico é confirmado pelo microscópio, é aconselhável:

  • Escrever os antecedentes familiares completos sobre nevos atípicos, melanomas ou outros cânceres. Discuta isso com seu médico.
  • Fazer exames de pele regularmente, em um intervalo recomendado pelo seu médico, e aconselhar familiares a fazer o mesmo.
  • Adicionar aos check-ups autoexames corporais mensais.
  • Reduzir a exposição ao Sol. Exposição excessiva pode estimular a formação de novos nevos ou até mesmo causar melanomas.
  • Perguntar ao seu médico sobre a possibilidade de mapeamento fotográfico corporal dos nevos, especialmente se membros da família têm nevos displásicos ou melanoma, ou se você possui muitos nevos. Alterações podem ser mais facilmente identificadas com este exame.

MELANOMA

Aqui temos uma forma fácil de memorizar as principais características do Melanoma, voltando ao ABCDE:

A: ASSIMETRIA – Qualquer assimetria em uma pinta deve ser suspeita.

Foto assimetria

B: BORDA – Bordas mal delimitadas podem ser um sinal de malignidade.

Foto ABCD Bordas

C: COR – Presença de mais de 2 cores na mesma pinta pode ser um sinal de suspeita.

Foto ABCD cor

D: DIÂMETRO – Uma pinta que apresenta um diâmetro maior que 6mm deve ser avaliada por um dermatologista.

Foto ABCD Diâmetro

E: EVOLUÇÃO – Mudança de qualquer característica de uma pinta é um sinal de que você deve procurar o dermatologista.

Observe o surgimento de uma nova lesão neste paciente.

LEMBRE-SE, não deixe de visitar o dermatologista se aparecer uma pinta nova no seu corpo ou se houver qualquer mudança em uma pinta pré-existente!

 

Referências:
http://www2.inca.gov.br.
http://www.skincancer.org.

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar